quarta-feira, 30 de junho de 2010

As mulheres no Paquistão




No Ocidente, o Paquistão é conhecido pelos seus costumes rígidos e pouco ortodoxos, bem assim como sendo um País "exportador" de terrorismo.
Mas, o que muita gente desconhece é que este país, aliado dos Estados Unidos, vive no seu interior num ambiente de terror, fruto do seu fundamentalismo alicerçado no fanatismo de uma religião que não dá tréguas à dignidade Humana.
Exemplo disso é a criação de uma polícia moral islâmica que veio limitar ainda mais os direitos das mulheres, já de si praticamente inexistentes.

A violência contra as mulheres vai desde "assassinatos por honra", pelo simples facto de falarem com um homem, "casá-las com o Alcorão" para que não possam ser herdeiras da família, ou a prática de um costume ainda hoje muito usado que se chama "swara", no qual a mulher é vendida, estuprada ou forçada a se casar com um homem em troca de uma dívida da sua família.

Os homens, sob a protecção das leis de um País bárbaro, praticam os mais variados crimes contra as suas mulheres, cometendo actos de verdadeiro terrorismo, chegando a "queimar a cara das vítimas com ácido".
Os resultados deste absurdo são graves não apenas do ponto de vista físico, mas do psicológico, afinal para estas pessoas a vida nunca mais será a mesma.
As histórias de quem sofreu este tipo de ataque são tristes e trágicas. Uma delas foi obrigada a se casar com a pessoa que a atacou por causa da pressão social pelos costumes tradicionais.
Resta dizer que os agressores ficam não só impunes, como aos olhos da sociedade, são vistos como "pessoas" integras, que se limitaram a limpar a sua "honra", o seu "bom nome" e a "dignidade" a que sentem ter direito.

"As imagens que se seguem podem ferir susceptibilidades das pessoas mais sensíveis"



Irum Saeed, 30 anos, foi queimada no rosto, nos ombros e nas costas há 12 anos por um rapaz com quem ela havia rejeitado se casar.
Ele a atacou no meio da rua.
Irum já passou por 25 cirurgias plásticas.



Kanwal Kayum, 26 anos, também foi queimada por não querer se casar com um rapaz.
Ainda não foram feitas cirurgias.



Shahnaz Bibi, 35 anos, foi queimada com ácido há 10 anos por um parente por causa de uma disputa familiar.
Ela nunca passou por uma cirurgia plástica.



Saira Liaqat, 26 anos, mostra uma foto que tirou antes de ter o rosto queimado pelo ex-marido. Ela se casou com um parente aos 15 anos de idade e ficou a morar com a sua família até terminar a escola. Ela teve o rosto queimado após diversas tentativas frustradas por parte do marido de levá-la para morar com ele.
Saira fez 9 cirurgias plásticas.



Shehnaz Usman, 36 anos, foi queimada por um familiar por causa de uma disputa entre os parentes.
Ela passou por 10 cirurgias plásticas.


Shameem Akhter, 18 anos, foi estuprada por três homens que depois jogaram ácido na sua cara.
Ela passou por 10 cirurgias plásticas.



A Acid Survivors Foundation do Paquistão tenta angariar fundos para ajudar com tratamentos médicos (principalmente cirurgias plásticas e fisioterapia), as vítimas destes horrendos crimes.


Fonte: Izismile

15 comentários:

  1. CARAMBA!!!

    Coitadassss!!!

    Aff

    Tô te seguindo!

    Me segue

    se quiser!

    ;)

    ResponderEliminar
  2. nossa que horror! eu pensava que elas usavam bucas apenas, o q ja era ultrajante :(

    ResponderEliminar
  3. Meu DEUS nunca pensei que existia tanta maldade com nossos proximos,eles não sabes o que es amar o proximo,QUE VENHA LOGO O FIM DESSE SOFRIMENTO.

    ResponderEliminar
  4. dps reclaman do brasil......

    ResponderEliminar
  5. Sinceramente ? Espero que o mundo acabe mesmo dia 21/12 pq se continuarmos desse modo eu nao sei como vai ser .. :C isso é lamentavel nenhuma palavra vai desfazer a dor dessas mulheres!

    ResponderEliminar
  6. Depois os ativistas da paz dizem que não se deve invadir o Paquistão... Já deviam ter jogado uma bomba nuclear há muito tempo!

    ResponderEliminar
  7. Meu Deus! Quanta barbaridade!

    ResponderEliminar
  8. Como vc pode pensar assim, Diego Tatts!!! O povo já é tão sofrido, com as guerras civis e você ainda acha que uma bomba nuclear seria a solução? E penso que o correto seria socorrê-los e não acabar com eles. Eu tenho amigos paquistaneses e mostrei a matéria. Eles não negaram e nem poderiam, mas disseram que isso existe nos interiores do País! O que falta, acredito, seja um organismo com disposição a resolver o problema e não aniquilar ainda mais. Eu entendo a sua revolta, acredite!

    ResponderEliminar
  9. Nossa quanta maldade.que loucura é essa..e ainda reclamamos do Brasil ?
    Tenho amigos do Paquistão e eles falam que não é bem assim ..em quem devo acreditar ?

    ResponderEliminar
  10. Amigo.. Asif alan khan
    Vc fala que seu pais não fazem isso ..que horror..quanta maldade..e agora oq vc tem para me falar disso tudo ?...

    ResponderEliminar
  11. deveriam apanhar kem faz isso as mulheres e keimalos vivos em praça publica... por muito mau k seja o k uma mulher faça, fica muito atras do k akeles animais fazem a elas

    ResponderEliminar
  12. this blog does not represents whole Pakistan, We are against all kind of violence around the world , yes its a bitter truth and it happens mostly in the rural areas of Pakistan, because Pakistan consists of 70% Rural and 30% Urban areas. where as most people are not educated, and you all should be aware of this fact too that USA(the land of opportunities) is at the top where the most number cases of Rape are filed(I think we should throw a nuclear bomb there as well and Pakistan is a nuclear state we have got many !!! but we will never use them, we know the value of human lives). and the fact is most western girls are attracted towards Pakistani men, because we respect women. thank you !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Death does not end the indignity of anyone! Not throwing bombs anywhere they will get fix the world. Rather, it has been proven that makes it worse!

      Eliminar
  13. ai que orror ainda bem que o meu namorado do paquistao não e assim.

    ResponderEliminar