sábado, 30 de maio de 2009

Joãozinho



A professora pergunta aos seus alunos:
- Se existem 5 passarinhos num ramo e vocês atirarem e matarem um, quantos sobram?
- Nenhum - responde o Joãozinho.
A professora fica surpresa com a resposta:
- Nenhum?
- Claro... com o barulho do tiro todos levantam voo!
- Bem, não era essa a resposta que eu esperava, mas gosto da tua maneira de pensar!

- E agora, posso fazer-lhe eu uma pergunta?
Pediu Joãozinho.
- Pode, Joãozinho.
- Estão 3 mulheres sentadas num banco a comer sorvete.
Uma está lambendo, outra está chupando e a terceira está mordendo.
Qual delas é a casada?

A professora fica vermelha, mas responde, timidamente:
- A que está chupando?
- Não, a casada é a que tem a aliança no dedo, mas eu também gosto da sua maneira de pensar!


Cedido por: TA

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Espirito empreendedor

"Clique na imagem para ampliar"


Cedido por: Ana

domingo, 24 de maio de 2009

Alegria no Trabalho.



(Se tiver duvidas acerca do "valor" de cada sorriso, clique na foto para ampliar)

Cedido por: TA

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Dia da Cidade de Leiria



(Autor: http://coresdeleiria.blogspot.com/)










quinta-feira, 21 de maio de 2009

Poesia Cantada

Confesso que gosto de poesia. Gosto de decifrar as imagens criadas pelo autor e encontrar o ritmo num verso, de lhe interpretar a ideia, o sentido, a sua figura de linguagem.
A poesia atravessa gerações, imune ao tempo e às modas, segue imparável como se fosse a voz dos deuses, imortal no manto da memória.
Nela, encontra-se o que lá está e o que não está, o que se adivinha e o que se sente. Revigora palavras inesperadas, abraça os homens nos dias de desespero, na solidão da noite, na revolução e, acima de tudo, no amor.
Quem fica indiferente ao sentido das palavras e à sua musicalidade, quando lê o que Eugénio de Andrade escreveu? E o que, em tão poucas palavras, tanto diz:

"Passamos pelas coisas sem as ver,
gastos, como animais envelhecidos:
se alguém chama por nós não respondemos,
se alguém nos pede amor não estremecemos,
como frutos de sombra sem sabor,
vamos caindo ao chão, apodrecidos."


Quem não estremece ao ler os versos românticos que Florbela Espanca desenhou numa qualquer folha branca, segura de si e do que queria transmitir, repletos de vitalidade quanto de tristeza, que até parece fazer amor com as palavras:

Os versos que te fiz

Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que a minha boca tem pra te dizer!
São talhados em mármore de Paros
Cinzelados por mim pra te oferecer.

Têm dolência de veludos caros,
São como sedas pálidas a arder...
Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que foram feitos pra te endoidecer!

Mas, meu Amor, eu não tos digo ainda...
Que a boca da mulher é sempre linda
Se dentro guarda um verso que não diz!

Amo-te tanto! E nunca te beijei...
E nesse beijo, Amor, que eu te não dei
Guardo os versos mais lindos que te fiz!

Poderia gastar aqui linhas e linhas, relembrando a poesia de Poetas como José Régio, Fernando Pessoa, Sophia de Mello Anderson, Ruy Belo, Pablo Neruda, Cecília Meireles, entre tantos outros, mas termino parafraseando o “nosso” eterno… Camões!

Mudam-se os tempos,

mudam-se as vontades,

Muda-se o ser, muda-se a confiança;

Todo o mundo é composto de mudança,

Tomando sempre novas qualidades.


Vêem todas estas linhas repletas de “Tretas” a propósito de estar eu convencido, de que conhecia muita e boa poesia, quando me deparei com um Vídeo de um cantor que consegue aliar a melodia de uma musica divina à poesia elevada à perfeição.

Assim, para ele, aqui fica o meu humilde testemunho em forma de... rima:

“Onde estavas tu poeta
Para eu não te conhecer
Ouvir-te é uma festa…
Ler-te, assim, ao entardecer,

É como se fora um orgasmo aos sentidos
Que se elevam para lá da voz dos Deuses
Porque não fazes tu mais vídeos
Plo menos um todos os meses?

Pra me espantares sempre e de novo
Com a tua sublime mestria
Faz-me versos pra mim e pró povo
Mostra-me hoje e sempre a tua poesia!"
(estas rimas são aqui do je!)

Ora vejam se tenho ou não razao:

video

segunda-feira, 18 de maio de 2009

striptease


Cansadas de se fingirem de mortas e de aguentarem um relacionamento frio durante muito tempo, as mulheres decidiram começar o século 21 com o pé direito: foram atrás de uma maneira diferente para tentar apimentar o namoro ou o casamento, aprendendo a lidar com as chamadas artes sensuais, uma espécie de terapia para o casal.
Na maioria das vezes, a temperatura do relacionamento cai e a mulher vê-se diante de três opções: ou faz de conta que tudo está bem e continua infeliz, ou coloca um ponto final na história para acabar com a pasmaceira, ou vai à luta e tenta sobreviver à rotina da relação, apostando numa alternativa.
"Tirar a roupa" não é tão fácil quanto parece. Há muitos truques e técnicas que, se seguidos corretamente, independentemente da estética corporal, dão certo.
Com um striptease, a mulher aprende não só a entender o próprio corpo, mas a gostar mais dele. A mulher dever ter paixão por ela. Se não estiver de bem consigo mesma, quando colocar a mão no corpo, vai ficar pensando na barriga que está meio saliente ou lembrar da celulite no bumbum. Se isso acontecer, ela vai transmitir toda essa insegurança ao homem, tornando a relação mais fria.
Além da expressão corporal e da sensualidade, é preciso também treinar bastante o olhar. Durante o striptease, a mulher precisa olhar de uma maneira forte para o parceiro.
Com o movimento do quadril ela hipnotiza o homem, e por meio do olhar, consegue dominar o momento.
Se for em casa, sugere-se mudar a iluminação, usar abajur ou até brincar com velas.
O uso de incensos afrodisíacos, velas aromáticas e óleos sensuais também são boas opções.
Pode-se também colocar uma música e, atenção, N-U-N-C-A ensaie uma coreografia: É perigoso esquecer um passo e perder o ritmo da música por causa do nervosismo.
Assim, o melhor é deixar-se levar pelo ritmo e pelo improviso.

É claro que um striptease não precisa, necessariamente, acabar em sexo. Se esse não for o resultado final, não se decepcione nem ache que fez algo errado. Às vezes, os homens se surpreendem tanto com a transformação da parceira, ou estão com algum problema, que não sabem o que fazer.
Isso não quer dizer que ele não gostou, apenas ficou assustado e surpreso. Mas se você quer tentar driblar a situação, tente o contato corpo a corpo.

Para dominar um pouco melhor algumas das técnicas do strip, dê uma olhadela no Video abaixo:



video



Cedido por: Teresa

domingo, 17 de maio de 2009

Acordo Ortográfico II




Foda-se por Millôr Fernandes
(adaptado)

O nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional à
quantidade de "foda-se!" que ela diz.
Existe algo mais libertário do que o conceito do "foda-se!"?
O "foda-se!" aumenta a minha auto-estima, torna-me uma
pessoa melhor.
Reorganiza as coisas. Liberta-me.
"Não quer sair comigo?! - então, foda-se!"
"Vai querer mesmo decidir essa merda sozinho(a)?! - então,
foda-se !"
O direito ao "foda-se!" deveria estar assegurado na Constituição.
Os palavrões não nasceram por acaso. São recursos
extremamente válidos e criativos para dotar o nosso vocabulário
de expressões que traduzem com a maior fidelidade os nossos
mais fortes e genuínos sentimentos. É o povo a fazer a sua
língua. Como o Latim Vulgar, será esse Português Vulgar que
vingará plenamente um dia.
"Comó caralho", por exemplo. Que expressão traduz melhor a
ideia de muita quantidade que "comó caralho"?
"Comó caralho" tende para o infinito, é quase uma expressão
matemática.

A Via Láctea tem estrelas comó caralho!
O Sol está quente comó caralho!
O universo é antigo comó caralho!
Eu gosto do meu clube comó caralho!
O gajo é parvo comó caralho!
Entendes?
No género do "comó caralho", mas, no caso, expressando a
mais absoluta negação, está o famoso "nem que te fodas!".
Nem o "Não, não e não!" e tão pouco o nada eficaz e já sem
nenhuma credibilidade "Não, nem pensar!" o substituem.
O "nem que te fodas!" é irretorquível e liquida o assunto.
Liberta-te, com a consciência tranquila, para outras actividades
de maior interesse na tua vida.
Aquele filho pintelho de 17 anos atormenta-te pedindo o carro
para ir surfar na praia? Não percas tempo nem paciência.
Solta logo um definitivo:
"Huguinho, presta atenção, filho querido, nem que te fodas!".
O impertinente aprende logo a lição e vai para o Centro
Comercial encontrar-se com os amigos, sem qualquer problema,
e tu fechas os olhos e voltas a curtir o CD (...)
Há outros palavrões igualmente clássicos.
Pense na sonoridade de um "Puta que pariu!", ou o seu
correlativo "Pu-ta-que-o-pa-riu!", falado assim, cadenciadamente,
sílaba por sílaba.
Diante de uma notícia irritante, qualquer "puta-que-o-pariu!", dito
assim, põe-te outra vez nos eixos.
Os teus neurónios têm o devido tempo e clima para se
reorganizarem e encontrarem a atitude que te permitirá dar um
merecido troco ou livrares-te de maiores dores de cabeça.
E o que dizer do nosso famoso "vai levar no cu!"? E a sua
maravilhosa e reforçadora derivação "vai levar no olho do cu!"?
Já imaginaste o bem que alguém faz a si próprio e aos seus
quando, passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de
seu interlocutor e solta:
"Chega! Vai levar no olho do cu!"?
Pronto, tu retomaste as rédeas da tua vida, a tua auto-estima.
Desabotoas a camisa e sais à rua, vento batendo na face, olhar
firme, cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado
amor-íntimo nos lábios.
E seria tremendamente injusto não registar aqui a expressão de
maior poder de definição do Português Vulgar: "Fodeu-se!". E a
sua derivação, mais avassaladora ainda: "Já se fodeu!".
Conheces definição mais exacta, pungente e arrasadora para
uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de
ameaçadora complicação?
Expressão, inclusivé, que uma vez proferida insere o seu autor
num providencial contexto interior de alerta e auto-defesa. Algo
assim como quando estás a sem documentos do carro, sem
carta de condução e ouves uma sirene de polícia atrás de ti a
mandar-te parar. O que dizes? "Já me fodi!"
Ou quando te apercebes que és de um país em que quase nada
funciona, o desemprego não baixa, os impostos são altos, a
saúde, a educação e … a justiça são de baixa qualidade, os
empresários são de pouca qualidade e procuram o lucro fácil e
em pouco tempo, as reformas têm que baixar, o tempo para a
desejada reforma tem que aumentar … tu pensas “Já me fodi!”
Então:
Liberdade,
Igualdade,
Fraternidade
e ...foda-se!!!
Mas não desespere:
Este país … ainda vai ser “um país do caralho!”

Atente no que lhe digo!


.

Cedido por: RF

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Decadencia Humana


Seria mais compreensível que a evolução a que fomos sujeitos pela Natureza nos tornasse, a nós Humanos, menos cruéis, mais complacentes com os nossos iguais em comparação com os nossos antepassados, do que o inverso.
Mas não é isso, infelizmente que acontece. Basta ligar a televisão e ter a pachorra de ver os noticiários dos vários canais, que nos empanturram com as crueldades com que nos infligimos a nós mesmos.
As atrocidades que se cometem sem que façamos algo de concreto para as reprimir são “explicáveis” única e exclusivamente pela decadência Humana. Não estamos a evoluir, mas sim a regredir.
Nos valores morais, espirituais, éticos, sociais e até democráticos, que se vão esgotando.
O carácter e a conduta é como se estivesse em desuso.
A honestidade e a integridade são relegadas em detrimento da aparência.
A justiça e a ética foram subjugadas pela esperteza saloia que vai caracterizando este Mundo globalizado em que vivemos.
Trocámos a fraternidade pelo egoísmo, a generosidade pelo desprezo e não vimos ou não queremos ver, que o individualismo acaba por matar o individuo.
Não estou a pensar no Iraque, no Afeganistão, em Israel, em Guantanamo nem em todas as outras (muitas) atrocidades que proliferam por este Mundo fora.
Nem tão pouco no espectáculo deprimente protagonizado por cidadãos das Filipinas em que todas as sextas feiras santas, centenas de pessoas passam pela mesma tortura sofrida por Jesus.
Se alguém acha que as armas são melhor argumento do que o diálogo, a tortura o caminho mais seguro para o respeito ou que se redime cruscificando-se, ou auto-flagelando-se de alguma forma, realmente não há muito o que pensar.

Quanto à Besta auto intitulada xeque Nasser, a minha abominação é tão grande que acabo por também eu, fazer parte da decadencia Humana que acabei de criticar.
Rui Girão

terça-feira, 12 de maio de 2009

Besta

"...Para aqueles que teimam na existência de algo a que, com os olhos em alvo, se atrevem a chamar bondade humana, a lição é dura e muito capaz de lhes fazer perder algumas das suas queridas ilusões. Acaba de ser trazido ao conhecimento da opinião pública um dos mais demenciais casos de tortura que poderíamos imaginar. O torturador é um irmão do emir de Abu Dhabi e presidente dos Emiratos Árabes Unidos, um dos países mais ricos do mundo, grande exportador de petróleo. O infeliz torturado foi um comerciante afegão acusado de ter perdido um carregamento de cereais no valor de 4000 euros que o xeque Al Nayan (este é o nome da besta) havia adquirido.
O que se passou conta-se em poucas palavras, já que um relato completo exigiria um livro de muitas páginas. A gravação do vídeo, de 45 minutos, mostra um homem de chilaba branca golpeando os testículos da vítima com uma aguilhada eléctrica, dessas que se usam para tocar o gado, que depois lhe introduz no ânus. A seguir verte-lhe sobre os testículos o conteúdo de um isqueiro e pega-lhes fogo, lançando depois sal sobre a carne queimada. Para rematar, atropela várias vezes o desgraçado com um carro todo-o-terreno. No vídeo pode ouvir-se os ossos a partirem-se. Como se vê, um simples capítulo mais da ilimitada crueldade humana.
Se Alá não toma conta da sua gente, isto vai acabar mal. ..."
Jose Saramago

O "excerto" do video mostra o irmão do Xeque Khalifa Ben Zayed Al Nahyan, soberano de Abu Dabi e presidente dos Emirados Árabes Unidos, obrigando a engolir areia o dito comerciante afegão. Os Restantes 44 minutos do Video são demasiado horrendos para caberem neste blog.

«Não aconselhável a pessoas mais sensíveis.»

video

domingo, 10 de maio de 2009

Acordo Ortográfico


Tem-se falado muito do “novo” acordo ortográfico. Na verdade, este acordo nada tem de novo, uma vez que foi assinado em 1990, mas até hoje ainda não foi aplicado, dado não ter sido ratificado por todos os Estados envolvidos.
Em 6 de Março de 2008, o governo português ratificou o segundo protocolo modificativo do documento e afirmou a intenção de o aplicar no prazo de 6 anos.
Recentemente o Presidente da República ratificou o acordo.
O objetivo do acordo é a normalização das regras linguísticas em todos os países que têm o português como idioma oficial.

As normativas do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa apresentam modificações em diferentes pontos da escrita, como a acentuação, o uso do hífen e do trema, além da divisão silábica.
A pronúncia não é afetada e mantém o acento característico de cada país.

.
Algumas das normas ortográficas que estarão em vigor nesse ano.



"Correcto ou correto?"

Segundo o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa o “c” que surge nas sequências interiores “cç”, “cc” e “ct” elimina-se quando não é pronunciado mesmo nas pronúncias cultas da língua.
Exemplos:
Ação (acção), acionar (accionar), adjetivo (adjectivo), direção (direcção), exato (exacto).

"Adotar ou adoptar?"

Tal como o “c”, o “p” quando é “mudo” também se elimina. Exemplos:

Adotar (adoptar), ótimo (óptimo), exceção (excepção), perentório (peremptório).

"Aspecto ou aspeto?"

As duas formas podem ser usadas. Sempre que as consoantes “c” ao “p” sejam pronunciadas num dos países que assinam o acordo, as duas formas são consideradas corretas. Exemplos:

Aspecto/ aspeto, recepção/ receção, corrupto/ corruto, caracteres/ carateres


"23 de Abril ou 23 de abril?"

Segundo o acordo, deixa de se usar maiúscula para os nomes dos meses e pontos cardeais. É facultativa a maiúscula nos nomes das disciplinas, ruas, avenidas ou praças. Exemplos:

23 de abril
geografia
avenida 25 de abril

"O alfabeto português tem 23 ou 26 letras?"


As letras “k”, “y” e “w” integram agora oficialmente o alfabeto português, usando-se em palavras de oriundas de outras línguas (kuwaitiano, malawiano, …) e em símbolos (km, kw,…).
.

.O tempo para adaptação às novas regras foi determinado em três anos no Brasil. Em Portugal o tempo estimado é o dobro devido a uma maior quantidade de alterações.

Além destes países, o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa atinge Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau e Timor-Leste.




sexta-feira, 8 de maio de 2009

Tautologia

























É o termo usado para definir um dos vícios de linguagem. Consiste na repetição de uma ideia, de maneira viciada, com palavras diferentes, mas com o mesmo sentido.

O exemplo clássico é o famoso 'subir para cima' ou o 'descer para baixo'.
Mas há outros, como poderá ver na lista a seguir:


- elo de ligação


- acabamento final


- certeza absoluta


- quantia exata


- nos dias 8, 9 e 10, inclusive


- juntamente com


- expressamente proibido


- em duas metades iguais


- sintomas indicativos


- há anos atrás


- vereador da cidade


- outra alternativa


- detalhes minuciosos


- a razão é porque


- anexo junto à carta


- de sua livre escolha


- superavit positivo


- todos foram unânimes


- conviver junto


- facto real


- encarar de frente


- multidão de pessoas


- amanhecer o dia


- criação nova


- retornar de novo


- surpresa inesperada


- escolha opcional


- planear antecipadamente


- abertura inaugural


- a última versão definitiva


- possivelmente poderá ocorrer


- comparecer em pessoa


- gritar bem alto


- demasiadamente excessivo


- a seu critério pessoal


- exceder em muito



Note que todas essas repetições são dispensáveis.
Por exemplo, 'surpresa inesperada'.
Existe alguma surpresa esperada ?
Devemos evitar o uso das repetições desnecessárias.
Fique atento(a) às expressões que utiliza no seu dia-a-dia.





Cedido por: RF

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Clubices

Iam Luis Filipe Vieira, Filipe Soares Franco e Jorge Nuno Pinto da Costa numa viagem de avião, quando o avião em que seguiam tem uma avaria e cai no meio de África em cima de um cemitério.
Ainda mal recompostos do acidente os três presidentes vêem entrar pelo cemitério dentro uma tribo que rapidamente os cerca.
O chefe da tribo, com ar mal-encarado, dirige-se aos acidentados informando-os que profanaram um local sagrado e que terão de ser chicoteados para afastar os maus espíritos.






Luis Filipe Vieira tenta explicar que é uma pessoa muito importante e que segundo a alínea 3 do decreto 33 da Convenção de Genebra...
O chefe oferece-lhe a opção de 100 ou 200 chicotadas.
Ele escolhe 100.
O chefe concede-lhe um desejo.
Ele pede uma almofada.
E começa o sacrifício...
Ao fim de 50 chicotadas a almofada está completamente desfeita.




Filipe Soares Franco tenta negociar a troca da punição por uma loja no Centro Comercial Alvaláxia.
O chefe dá-lhe a escolher entre 100 e 200 chicotadas mais um desejo.
Ele escolhe 100 chicotadas e 2 almofadas.
As almofadas aguentam 70 chicotadas até se desfazerem.



Chega finalmente a vez de Jorge Nuno Pinto da Costa que pede imediatamente 200 chicotadas!
"Homem do Norte" pensa o chefe, e pergunta qual o desejo pretendido.
O desejo é apanhar as 200 chicotadas com o Luis Filipe Vieira às costas.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

D. A. D. I. A.


A todos que já passaram dos 40, um abraço.
E quem não passou não ria e tenha esperança, pois um dia vai chegar lá!
Para quem já passou dos 40 ou está com os mesmos sintomas, acabaram de descobrir o diagnóstico desta doença :

D.A.D.I.A. - Desordem da Atenção Deficitária na Idade Avançada

Explico melhor:

1. Outro dia decidi lavar o carro: peguei nas chaves e fui em direcção à garagem, quando notei que tinha o correio em cima da mesa.

2. OK, vou lavar o carro, mas antes vou dar uma olhadinha, pois pode ter alguma coisa urgente.

3. Ponho as chaves do carro na escrivaninha ao lado e, olhando o correio vejo que tem algumas contas para pagar e muita propaganda inútil, pelo que decido deitá-la fora, mas vejo que o caixote está cheio.

4. Então lá vou esvaziá-lo. Coloco as contas sobre a escrivaninha, mas lembro-me que há um multibanco perto de casa e vou primeiro pagar as contas.

5. Coloco o caixote no chão, pego nas contas e vou em direcção à porta.

6. Onde está o cartão multibanco? No bolso do casaco que vesti ontem.

7. Ao passar pela mesa de jantar, olho para uma cerveja que estava a beber.
Vou buscar o cartão, mas antes vou guardar a cerveja no frigorífico.

8. Vou em direcção à cozinha quando noto que a planta no vaso parece murcha, é melhor pôr-lhe água antes.

9. Coloco a cerveja no balcão da cozinha, quando... Ah! Achei os meus óculos!
Estava à procura deles há horas! É melhor guardá-los já!

10. Pego num jarro, encho-o de água e vou em direcção ao vaso.

11. Deixaram o comando da televisão aqui em cima! À noite quando a quisermos abrir, ninguém se vai lembrar de procurar na cozinha.
É melhor levá-lo já para a sala. Mas...

12. Ponho os óculos sobre a mesa e pego no comando.

13. Deito a água na planta, mas caiu um pouco no chão. Deito o comando no sofá e vou buscar um pano.

14. Vou andando pelo corredor e penso que precisava de trocar a moldura deste quadro.

15. Estou a andar e já não sei o que é que ia fazer!!!.

16. Ah! Os óculos... Depois! Primeiro o pano. Pego nele.

17. Vou em direcção ao vaso, mas vejo o caixote do lixo cheio.

18. Final do dia: o carro continua por lavar, as contas não foram pagas, a cerveja lá está, quentinha, a planta levou só metade da água, não sei do multibanco, nem onde estão as chaves do carro!

19. Quando tento entender porque é que não fiz nada hoje, fico atónito, pois estive ocupado o dia inteiro!

20. Percebo que isto é uma coisa muito séria e que tenho que ir ao médico, mas antes, acho que vou ver o resto do correio...
.
Fim de citação.

terça-feira, 5 de maio de 2009

O Nosso Jet Set








-Jet Set: Em Portugal entende-se por jet set um subconjunto da classe alta de uma sociedade, geralmente muito mediático e não oriundo de famílias tradicionais da classe alta. No Brasil o termo equivalente é socialite ou patricinha e mauricinho, porém não tem sentido pejorativo. O termo socialite também deriva da língua inglesa e se pronuncia "socialaite". Esse termo é bastante usado em veículos direcionados à classe alta. ( Fonte: Wikipédia )



segunda-feira, 4 de maio de 2009

Onde está a aliança?

video

Esperar e ouvir atentamente a opinião dos outros é olhar para a mesma verdade e saber que esta poderá ser vista de forma bem diferente por cada um.

E assim, deixar-se de cometer injustiças com as precipitações, porque existem circunstâncias em que na história nada muda e mesmo assim, tudo é completamente diferente.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Primeiro de Maio

Em 1886, realizou-se uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago nos Estados Unidos da América. Essa manifestação tinha como finalidade reivindicar a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias e teve a participação de milhares de pessoas. Nesse dia teve início uma greve geral nos EUA . No dia 3 de Maio, houve um pequeno levantamento que acabou com uma escaramuça com a polícia e com a morte de alguns manifestantes. No dia seguinte, 4 de Maio, uma nova manifestação foi organizada como protesto pelos acontecimentos dos dias anteriores, tendo terminado com o lançamento de uma bomba por desconhecidos para o meio dos policiais que começavam a dispersar os manifestantes, matando sete agentes. A polícia abriu então fogo sobre a multidão, matando doze pessoas e ferindo dezenas. Estes acontecimentos passaram a ser conhecidos como a Revolta de Haymarket.



Três anos mais tarde, a 20 de Junho de 1889, a segunda Internacional Socialista reunida em Paris decidiu por proposta de Raymond Lavigne convocar anualmente uma manifestação com o objectivo de lutar pelas 8 horas de trabalho diário. A data escolhida foi o 1º de Maio, como homenagem às lutas sindicais de Chicago. Em 1 de Maio de 1891 uma manifestação no norte de França é dispersada pela polícia resultando na morte de dez manifestantes. Esse novo drama serve para reforçar o dia como um dia de luta dos trabalhadores e meses depois a Internacional Socialista de Bruxelas proclama esse dia como dia internacional de reivindicação de condições laborais.
Em 23 de Abril de 1919 o senado francês ratifica o dia de 8 horas e proclama o dia 1 de Maio desse ano dia feriado. Em 1920 a Rússia adota o 1º de Maio como feriado nacional, e este exemplo é seguido por muitos outros países. Apesar de até hoje os estadunidenses se negarem a reconhecer essa data como sendo o Dia do Trabalhador, em 1890 a luta dos trabalhadores estadunidenses conseguiram que o Congresso aprovasse que a jornada de trabalho fosse reduzida de 16 para 8 horas diárias.



Em Portugal, só a partir de Maio de 1974 (o ano da revolução do 25 de Abril) é que se voltou a comemorar livremente o Primeiro de Maio e este passou a ser feriado. Durante a ditadura do Estado Novo, a comemoração deste dia era reprimida pela polícia. O Dia Mundial dos Trabalhadores é comemorado por todo o país, sobretudo com manifestações, comícios e festas de carácter reivindicativo, promovidas pelas centrais sindicais.